Biometria e urna eletrônica

Imagem de Biometria e urna eletrônica do TRE-RN

O eleitorado brasileiro abrange mais de 136 milhões de brasileiros. E para esclarecer as dúvidas mais frequentes dos eleitores sobre o sistema eletrônico de votação adotado no país, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) criou o hotsite Biometria e Urna Eletrônica. O portal pretende aproximar ainda mais a Justiça Eleitoral dos cidadãos, oferecendo todas as informações a respeito do voto na urna eletrônica, que garante ao pleito ainda mais agilidade e confiabilidade.

O site também traz as novidades acerca do recadastramento biométrico dos eleitores, que tem como finalidade habilitar os cidadãos brasileiros a votar nas eleições brasileiras após serem identificados biometricamente, isto é, por meio de suas impressões digitais. Navegue pela página e descubra porque o sistema eletrônico de votação é o mecanismo mais seguro para o eleitor exercer o direito de eleger seus representantes nas esferas dos poderes Executivo e Legislativo.

 

Links

Em 1985, houve a implantação de um cadastro eleitoral informatizado pelo TSE, enquanto a urna eletrônica como se concebe hoje só foi desenvolvida em 1995, e utilizada pela primeira vez nas eleições municipais do ano seguinte. Porém foi em 1989, na cidade de Brusque (SC), onde o juiz Carlos Prudêncio realizou a primeira experiência de votação com micro-computadores.

Para a elaboração do projeto da urna eletrônica, em 1995, o TSE formou uma comissão técnica liderada por pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Centro Técnico Aeroespacial (CTA) de São José dos Campos que definiu uma especificação de requisitos funcionais.
O primeiro nome da urna eletrônica foi “coletor eletrônico de votos” (CEV). A máquina teve como objetivo identificar as alternativas para a automação do processo de votação e definir as medidas necessárias a sua implementação, a partir das eleições de 1996, em mais de 50 municípios brasileiros.

O equipamento, responsável pela automatização de 100% das eleições, foi então lançado no Brasil em 1996 e hoje serve de modelo para diversos outros países, que vêm testando a capacidade da máquina para implantação em seus processos eleitorais.

Em março de 2009, o TSE recebeu um prêmio na área de tecnologia pela contribuição no desenvolvimento de urnas eletrônicas. A premiação foi resultado de uma parceria entre a Universidade de São Paulo (USP), a George Washington University e a Business Software Aliance (BSA). A BSA é uma entidade que reúne instituições e empresas da área de tecnologia da informação e promove o evento para destacar ideias que sejam inéditas em todo o mundo.

Existem diversos modelos de urnas eletrônicas: UE98, UE2000, UE2002, UE2004 e UE2006

Até 2006, foram utilizados os seguintes sistemas operacionais:

- VirtuOS nos modelos UE98 e UE2000;
- Windows CE nos modelos UE2002, UE2004 e UE2006’

Para as eleições de 2008 está em estudo a utilização de um único sistema operacional, com base em plataforma Linux (software livre).’

A partir de 2002, várias alterações na Lei n° 9.504/97 aumentaram, ainda mais, a segurança do processo eletrônico de votação.