TRE-RN implanta metodologia de Gestão por Competências

TRE-RN - Gestão por Competências 2016

Ao longo de 2016, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte colocou em prática o projeto piloto de Gestão por Competência em parceria com a UFRN, através do departamento de administração e mediado pela FUNPEC, com o intuito de promover o devido reconhecimento ao capital intelectual presente dentre os servidores do órgão.

A Gestão por Competências é uma metodologia de gestão de pessoas focada no negócio, a partir da qual são definidas as competências organizacionais, individuais e gerenciais, nos diferentes níveis da organização, e avaliados os conhecimentos, habilidades e atitudes, buscando desenvolver as competências necessárias ao alcance dos objetivos institucionais.

Para a coordenadora do grupo da UFRN que participou da execução do projeto, Professora Patrícia Whebber, a experiência foi gratificante, no sentido de que houve participação dos servidores. “Cada um teve sua forma de participar. Nós entrevistamos 252 servidores representando todos os setores do tribunal, fator importante para a consolidação do projeto de gestão de pessoas por competências”, disse.

Para a implantação da metodologia de Gestão por Competência no TRE-RN, foi definido um cronograma de atividades com foco na seleção para o cargo de Coordenação da Coordenadoria de Educação e Desenvolvimento (COED), um dos setores da Secretaria de Gestão de Pessoas do TRE-RN.

A Diretora-Geral deste regional, Andréa Campos, explica que a gestão por competências abrange todo o Tribunal, tanto a Secretaria quanto as zonas eleitorais: “Todos integram a gestão por competências e fica a critério do gestor implantar determinado módulo no tempo que julgar mais adequado. É importante que se registre que a Gestão por Competências não diz respeito somente a provimento de cargos comissionados e funções comissionadas, mas a sua essência está no desenvolvimento do servidor e na sua valorização enquanto profissional, utilizando seu potencial no atingimento dos objetivos estratégicos do Tribunal, reconhecendo seus méritos”, esclarece. 

 

Três etapas de avaliação marcaram o processo de seleção

Com base no projeto de gestão por competência no TRE-RN, a seleção para o cargo de Coordenação da COED foi realizada em três etapas:

  • 1ª etapa: Análise de currículo pela comissão composta por servidores do TRE-RN, integrantes do Comitê de Implantação do Programa Gestão por Competências;
  • 2ª etapa: Apresentação individual, participação em dinâmica em grupo e entrevista com banca composta por servidores do TSE;
  • 3ª etapa: Entrevista com Presidente do TRE-RN, Desembargador Dilermando Mota.

No dia 12 de dezembro foi realizada a última etapa de seleção. A partir de então foi definido o resultado final, conferindo à Paulinéa Araújo, servidora da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação (STIC) há 22 anos, o cargo de Coordenadora da COED. Em 14 de dezembro a presidência deste regional eleitoral deu posse à servidora Paulinéa Araújo para o cargo de Coordenadora de Educação e Desenvolvimento.

“Estou extremamente orgulhosa da instituição TRE/RN, pela simples oportunidade dada aos servidores de participarem do projeto piloto de Gestão por Competências do Tribunal. Essa experiência inédita foi angariada por Andréa Campos - enquanto Secretária de Gestão de Pessoas e hoje Diretora-Geral - e patrocinada pelos dirigentes máximos da organização - Desembargadora Zeneide, ex-Presidente, e mais fortemente pelo Excelentíssimo Senhor Desembargador Dilermando Mota - sem os quais essa moderna ferramenta de gerir pessoas ainda andaria a passos lentos aqui nesta Casa”, relatou Paulinea.

 

TRE-RN tem competências organizacionais definidas   

Com base nos estudos realizados ao longo de 2016, junto aos setores que compõem o organograma do TRE-RN, a equipe de professores de administração da UFRN juntamente com os comitês de implantação e executivo, criados para este fim no Tribunal, definiram as sete competências organizacionais do órgão:

  • Excelência na prestação de serviços
  • Desenvolvimento sustentável
  • Legitimidade e Segurança
  • Educação para Cidadania
  • Transparência
  • Gestão Participativa
  • Inovação

 “Este momento é a finalização de um ciclo da implantação da gestão por competências com a UFRN que fez o mapeamento das competências e entregou ao tribunal que dará seguimento para a capacitação dos servidores e desenvolvimento das outras etapas do programa. No tribunal a nossa equipe está motivada e engajada para que a gestão por competências faça parte da rotina do nosso trabalho”, disse Andréa Campos.

 O documento, composto por dois volumes que somam 150 páginas, foi entregue em reunião realizada na sala dos juízes no dia 16 de dezembro, com a presença dos integrantes dos comitês do projeto. Durante apresentação dos resultados, a professora Patrícia destacou alguns números: O trabalho contou com o envolvimento de 42% dos servidores. Foram mapeadas 47 competências comportamentais, 111 competências técnicas, 8 competências gerenciais e 135 competências funcionais.

 “A partir do levantamento das competências, são norteadas todas as políticas e práticas de gestão de pessoas. O uso deste documento irá impactar em todas as decisões que ocorrem no Tribunal, sejam elas administrativas, políticas ou relacionadas às estratégias de gestão e tomada de decisão, o que gera um dinamismo no atendimento a sociedade, bem como resultados práticos mais consolidados”, conclui Patrícia.

 

Últimas notícias postadas

Recentes