Gestão de Serviços e da Continuidade dos Serviços Essenciais de TIC

 

A Gestão de Serviços de TIC na Justiça Eleitoral do RN foi instituído através da Portaria nº 201/2019 - GP, com o objetivo estratégico de “Promover a adoção de padrões tecnológicos, a interoperabilidade e a integração dos sistemas” e “Primar pela satisfação dos usuários de TIC”, visando a padronização tecnológica, com base no MNI (Modelo Nacional de Interoperabilidade) e nas boas práticas da biblioteca ITIL (Information Technology Infrastructure Library), referência técnica mundial para o gerenciamento de serviços de tecnologia da informação.

Entre os serviços instituídos, estão a Central de Serviços de TIC e o Catálogo de Serviços de TIC, onde:

  1. A Central de Serviços de TIC caberá a realização de atividades com vistas à solução de incidentes e ao atendimento de requisições relativas aos serviços oferecidos no Catálogo de Serviços de TIC.  Funciona a partir da abertura de chamado pelo usuário da Justiça Eleitoral do RN, através o Sistema GLPI.
  2. Catálogo de Serviços de TIC compreende todos os serviços ativos que podem ser oferecidos aos atuais e futuros clientes do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte.
Além disso, foi instituído a Gestão da Continuidade dos Serviços Essenciais de TIC no âmbito do TRE-RN, através da Portaria nº 177/2019 - GP, que objetiva : reduzir o risco e minimizar o impacto de interrupções dos sistemas e serviços de TIC, procurar assegurar que os sistemas e serviços de TIC permaneçam em nível minimamente funcional durante a ocorrência de incidentes técnicos, definir processos e procedimentos para que os sistemas e serviços de TIC operem em nível de contingência, até que a situação retorne à normalidade. Abrange o processo de Gerenciamento de Continuidade de Serviços Essenciais de TIC, Macroprocesso de Suporte, e o Plano de Continuidade de Serviços Essenciais de TIC, que é um documento onde estão os procedimentos contigenciais e as medidas de normalização dos serviços e sistemas de TIC, conforme os cenários estabelecidos, devendo ser testado e revisado uma vez por ano ou em prazo inferior, caso ocorram alterações significativas nos ativos de TIC.